Arquivos da categoria: sexual

Angelina Jolie e Gwyneth Paltrow acusam diretor de assédio sexual

Angelina Jolie (Foto: Getty Images)

Quando Gwyneth Paltrow tinha 22 anos de idade conseguiu o papel que a tornou em uma grande estrela do cinema. Ela havia sido chamada pelo produtor Harvey Weinstein para fazer uma personagem no filme “Emma”. Mas antes das gravações começarem, o diretor a convidou para uma reunião em um quarto de hotel. Foi lá que ele a assediou.

“Eu era uma criança, estava contratada, fiquei petrificada”, disse ao “New York Times” sobre o homem que alavancou sua carreira no cinema e a ajudou a ganhar um Oscar.

Gwyneth contou ter resistido às investidas de Weinstein e revelou o assédio a Brad Pitt, seu namorado à época. Ele teria confrontado o diretor. “Pensei que seria demitida”, lembrou.

Uma investigação do “New York Times” revelou na semana passada que havia vários casos de assédio sexual contra Weinstein encobertos. Muitos envolviam antigas funcionárias que trabalharam com ele nos últimos 30 anos.

Angelina Jolie foi uma das vítimas. “Tive uma péssima experiência com Weinstein na juventude e como resultado decidi nunca mais trabalhar com ele, e alertei outras sobre isso”, contou. “Seu comportamento a respeito das mulheres em qualquer esfera ou país é inaceitável”. Segundo a atriz, o diretor a assediou sexualmente em 1990 durante o lançamento do filme “Corações Apaixonados”.

Em um comunicado na terça-feira, sua representante, Sallie Hofmeister, negou as acusações. “Qualquer alegação de sexo não consensual são inevocavelmente negadas por Weinstein. Ele confirmou que não houve nenhum ato de retaliação contra nenhuma das mulheres após elas recusarem suas investidas”.

Além de Angelina e Gwineth, outras famosas como Rosanna Arquette, Tomi-Ann Roberts, Katherine Kendall, Judith Godrèche e Dawn Dunning também fizeram acusações do mesmo tipo.

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda  moda” target=”_blank” title=”Caderno de Moda Folha de São Paulo”>Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL, LEQUIPE AGENCE, Way Model

Adwoa Aboah: conheça a modelo que promove discussões sobre autoimagem

À esquerda, Adwoa na capa da Vogue México de abril e, ao lado, vestindo Chanel. À direita, em foto no Palácio de Buckingham, onde esteve a convite da instituição Heads Together (Foto: Divulgação)

Uma das tops mais disputadas da última temporada de desfiles, a inglesa Adwoa Aboah, de 24 anos, comanda há um ano e meio o Gurls Talk, plataforma digital fundada por ela para promover a discussão entre mulheres sobre autoimagem, saúde mental e sexualidade.

A ideia surgiu depois de Adwoa tentar suicídio, em 2015, após anos lutando contra as drogas e a depressão. “Comecei a trabalhar como modelo aos 12 anos, mas não me sentia confortável em meu próprio corpo”, diz ela.

Em março passado, ela gravou um vídeo para a instituição Heads Together (encabeçada por Kate Middleton e os príncipes Harry e William), no qual conta, em um papo com a própria mãe – Camilla Lowther, dona de uma das agências mais influentes da indústria da moda, que representa profissionais como Tim Walker e Katie Grand – como venceu a batalha contra o vício.

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda  Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL BRASIL, LEQUIPE AGENCE, Way Model

“Acordei meio lésbica”, ironiza Bruna Linzmeyer sobre polêmica da “cura gay”

B0runa Linzmeyer (Foto: Reprodução/Instagram)

Bruna Linzmeyer ironizou a decisão de um juiz de Brasília que deixou psicólogos livres para oferecer tratamentos contra a homossexualidade. A atriz usou seu perfil no Instagram para falar sobre o assunto.

“Hoje acordei meio lésbica, será que dá pra ir trabalhar? Fernanda Gentil e Carol Duarte me indicam alguma pílula ou máscara verde?”, escreveu ao compartilhar uma foto na rede social.

Carol Duarte, a Ivana de “A Força do Querer”, respondeu ao comentário de Bruna. “Isso me aconteceu faz uns anos. E ainda me acomete. Argila na cara, e paracetamona. Se não melhorar tira o dia e fica com tua namorada. Já peguei um atestado de 9 dias, ficamos só no vinho, frio e aconchego. É o que sempre faço com a Alina Klein”.

O post da atriz foi uma referência à medida em caráter liminar que permite a psicólogos prestarem atendimento referente a orientação sexual. A decisão do juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho vai contra o Conselho Federal de Psicologia, que proíbe esta prática desde 1999.

PROTESTOS Pelas redes sociais, outros artistas também protestaram. A cantora Pabllo Vittar escreveu: “Não somos doentes. O preconceito não vai vencer”.

Paulo Gustavo, ironizou: “Estou catando tudo que é remédio para poder tentar melhorar da homossexualidade, mas não estou conseguindo. Estou viada há muito tempo, difícil sair da crise”.

Fernanda Gentiu usou o mesmo tom: “Tentando me curar dessa doença, mas tá difícil…..”, escreveu.

Preta Gil também se manifestou. “Como é que cura um ser humano de amar o outro? E aí, tem esse remédio?”.

Anitta, que sempre defende a causa gay, não ficou de fora. “Não sei como a gente consegue ajudar, mas eu estou aqui rezando para o que nosso país dê atenção para o que realmente é importante, que é consertar a nossa miséria, a nossa corrupção, a nossa falta de educação, até mesmo para ninugém mais cometer uma burrice como essa”.

Ivete Sangalo é outra cantora que não se calou. “Doente são aqueles que acreditam nesse grande absurdo. Pessoas, pensem sobre o que esse grande equívoco, absorvam a coragem e a luta dos homossexuais e apliquem as suas mofadas e inertes vidas”.

Claudia Leitte disse que a decisão do juiz representa um retrocesso. “Quando a gente vai perceber que é por conta das nossas diferenças que somos tão bonitos?! Todos precisamos de respeito! Todos temos os mesmos direitos! Retrocessos como acreditar que a condição sexual pode ser mudada torna nossa caminhada tão escura e sombria… Doença mesmo é o desafeto, a ausência de compaixão e, caso não fique claro, vale ressaltar, homofobia é crime e leva ao crime! Mais amor”.

Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos Modelos Masculinos SPFW Revista Epoca Vogue Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Melhores Agencias Agencias de Modelos do Brasil Linksweb Neoplanos Agentes do Alem 3ICAP Premio de Moda AnuarioTI Governo ID Porto Alegre Fashionlines Balenciaga Pebblebeb Sweetyus O Povo Hubblo Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Agencias de Modelos e Top Models UOL Estilo G1 Moda  moda” target=”_blank”>Folha S.Paulo Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL BRASIL, LEQUIPE AGENCE, Way Model

Travesti na novela das 9, Silvero Pereira se sente bem como homem ou mulher

Silvero Pereira fala sobre Nonato de A Força do Querer e as questões LGBT (Foto: Globo/Maurício Fidalgo)Silvero Pereira fala sobre Nonato de A Força do Querer e as questões LGBT (Foto: Globo/Maurício Fidalgo)

Silvero Pereira se define como uma pessoa que não gosta de se “encaixotar”. Livre de preconceitos e firme em suas opiniões, ele não deixa que ninguém o coloque para baixo. “Ser chamado de ‘viado’ e ‘traveco’ para mim é motivo de orgulho”, diz ele em entrevsita. Cearense de Mombaça, uma cidade de 50 mil habitantes, o ator de 35 anos – filho de operário e mãe lavadeira – é casado há nove com um dramaturgo, mas teve várias namoradas na adolescência.  


Foi pensando em defender atores transexuais e travestis que Pereira montou a companhia teatral AsTravestidas. Defensor dos direitos da comunidade LGBT, ele acredita que é preciso lutar por leis que defendam a todos: “Se não, vamos acabar revelando que o Brasil se finge democrático e libertário, mas é assassino e violento.”


Como tem sido a repercussão de seu personagem na novela?
SILVERO PEREIRA Faço teatro há 18 anos. Construí uma trajetória artística e política muito importante. Há 15 anos, me dedico às questões LGBT, de travestis, transexuais e transformistas, e  ganhei notoriedade, mas, claro, tudo isso está muito longe do que uma novela das 9 consegue proporcionar. Não consigo mensurar o tamanho disso tudo. Estou em cartaz em São Paulo com a peça “Brtrans“, e, outro dia, andando pela Avenida Paulista, pela primeira vez as pessoas me abordam para falar sobre o Nonato, meu personagem na novela. Nas redes sociais, tenho um Instagram bem ativo e, às vezes, entro ao vivo. Quando isso acontece, sempre aparece uma pessoa que decide me agredir. Reajo politicamente.


O que chama de reagir politicamente?
PEREIRA – Quando tentam me chamar de “viadão”, “traveco”, palavras que podem ser consideradas depreciativas e insultos, eu rebato dizendo que, para mim, elas são motivo de orgulho, adjetivos bem positivos. Esse tipo de atitude faz com que eu acabe levantando essa bandeira para outras pessoas que, no dia a dia, são agredidas e até espancadas. Costumo dizer: “Respondam [às agressões] e se sintam orgulhosas pelo que são”. É muito fácil julgar uma travesti que está na esquina se prostituindo. Mas qual a história dela? Precisamos nos aprofundar nessas questões, sair da superficialidade para entender o que ela sofreu desde criança. Ela está na rua tentando sobreviver.

Leandra Leal e Silvero Pereira na Parada do Orgulho LGBT, neste domingo (18) (Foto: Reprodução Instagram)Leandra Leal e Silvero Pereira na Parada do Orgulho LGBT, neste domingo (18) (Foto: Reprodução Instagram)

Quando decidiu ser ator?
PEREIRA – Minha irmã Cristiana e eu costumávamos brincar de show de calouros. Desde pequeno, gostava de me fantasiar. Trancado no banheiro, me sentia seguro para me expor, pois, sozinho, podia brincar com minhas fantasias. Alguns amigos na infância, principalmente as meninas,  compreendiam minha inclinação para as artes e participavam das minhas invenções. Mas só fui saber o que era teatro quando me mudei para Fortaleza, aos 17 anos. Quando assisti a primeira peça de teatro, descobri o que queria fazer na vida.

Silvero vive a travesti Elis Miranda em A Força do Querer (Foto: Fábio Rocha/TV Globo)Silvero vive a travesti Elis Miranda em A Força do Querer (Foto: Fábio Rocha/TV Globo)

Quando você contou à sua família que era homossexual?
PEREIRA –
Esse sempre foi um assunto difícil de falar com minha família, mas, de maneira natural, eles compreenderam que não podiam exigir de mim questões heteronormativas. Não podiam exigir namoradas, casamento, filhos, algo que eles tentaram  durante minha adolescência. Depois que me reconheci de fato, não permiti que ninguém interferisse em minha construção. 


Você se relacionou com meninas?
PEREIRA – Durante toda a minha adolescência, todas as minha relações foram com meninas. Primeiro namorei meninas; depois, passei a me relacionar com garotos. Foi um processo natural. Não gosto de me encaixotar na obrigação de me definir homossexual, bissexual. Gosto muito mais da liberdade de ser, do que da obrigação de definir. Essa é uma frase que tenho usado sempre. Hoje, aos 35 anos, sou feliz com minha identidade. Não me privo dos meus desejos, sejam eles por homens ou por mulheres. Permito que esses desejos aconteçam e, se tiver que ser por homem ou por mulher, que seja bem bonito para mim.


Como os travestis eram tratados em sua cidade natal?
PEREIRA – uma história muito perturbadora da minha infância: Há uma travesti em minha cidade, que mora lá até hoje, chamada Barbosinha. Sempre me disseram que ela tinha uma doença e eu não deveria me aproximar. Era uma espécie de lenda urbana que dizia que a gente não podia ter contato com a Barbosinha. Quando saí da minha cidade, eu era transfóbico. Fui obrigado a não gostar de Barbosinha, a pensar que ela era quase um bicho.  Mas, apesar de eu não ter compreensão sobre sexualidade e identidade de gênero, sentia interesse por esses temas, mesmo sem saber ainda me encaixar. Foi no teatro que compreendi que as pessoas tinham me feito pensar tudo errado.


Você sofreu preconceito no início de sua carreira?
PEREIRA – Sim, por fazer trabalhos para travestis. A classe artística começou a dizer que eu não era era ator, que deveria virar transformista e seguir os passos de minhas colegas nas boates. Mas enfrentei tudo e hoje digo: “Vocês estavam errados”. Hoje, há travestis que trabalham como  funcionárias públicas, são casadas, respeitadas. Claro que ainda existem muitas que são marginalizadas, mas o cenário é bem diferente de quando eu era mais jovem.


Por que você montou a companhia de teatro As Travestidas?
PEREIRA – Estamos num movimento muito bonito rumo à representatividade nas artes cênicas e me considero alguém que, de fato, contribuiu para esse movimento. Há 15 anos, no Ceará, acompanhei muitas amigas artistas largarem o teatro para trabalhar apenas em boates. A construção do meu grupo foi uma luta política, de resistência, para que as meninas voltassem ao  teatro. No grupo, temos três transexuais graduadas em artes cênicas. Somos em 12 integrantes e tem de tudo: hétero, homo, bi,  fluido de gênero, travesti, transexual e transformista.


O que falta para o seu grupo se multiplicar?
PEREIRA – Políticas públicas em defesa das questões LGBT. A área artística está à frente de outros setores. É preciso que as pessoas reconheçam que o Brasil é o país onde se mata mais travesti e trans no mundo. Não há políticas em defesa dessa comunidade. O Brasil se finge democrático e libertário, mas é assassino e violento.


Na TV, você prefere se ver como Elis ou Nonato?
PEREIRA – Me sinto tão feliz de barba quanto de cabelo comprido e usando vestido. O masculino é uma coisa que me interessa, me excita e me deixa feliz. Mas o feminino é algo que me comove, mexe comigo. Me sinto feliz das duas formas. Até uns 30 anos, me sentia confuso sobre a masculinidade, a feminilidade, mas agora transito normalmente. O teatro foi minha terapia e me ajudou intensamente a resolver essas questões.


Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Informações sobre agencias de modelos Moda no Estadao Folha de S.Paulo Portal G1 SPFW Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Veja Fashion Agencia de Modelos e Top Models Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL BRASIL, LEQUIPE AGENCE, Way Model

Top plus size Ashley Graham revela ter sofrido abuso sexual na infância

Ashley Graham (Foto: Reprodução / Instagram)Ashley Graham (Foto: Reprodução / Instagram)

Em um livro de memórias prestes a ser lançado nos Estados Unidos, a top plus size Ashley Graham revela ter sido abusada sexualmente por um homem quando tinha 10 anos de idade.


A modelo conta, em sua biografia, que um rapaz de 18 anos, filho de um casal de amigos de seus pais, a “forçou a tocar em seu pênis ereto” quando estavam se secando na lavanderia após saírem da piscina da casa em que morava. Ela diz que o episódio a fez sair correndo assustada.


Graham também escreveu sobre como foi crescer com um pai verbalmente abusivo. Embora sofresse críticas em relação ao seu peso vindas de agentes de modelos, os comentários dele a magovam muito mais. Ela relembra o dia em que contou à sua família que um funcionário da Ford Models a pediu para emagrecer, mas seu pai, sem o menor cuidado, disse que precisava, sim, perder peso. A conversa a teria deixado trêmula. “Fiquei chorando no banco de trás de um táxi”. 


A modelo abriu o coração também a respeito do uso de drogas no início da carreira, quando se mudou para Nova York. “Experimentei cocaína e êxtase porque queria ser popular”.


Dois anos após se mudar para a cidade, diz, o uso de drogas e álcool quase a fez ser demitida da agência de modelos após perder um voo por ter bebido muito na noite anterior. Este momento, segundo ela, mudou sua vida. “Atingi o fundo do poço”.


Apesar de tantos contratempos em sua vida pessoal e profissional, Graham conseguiu se tornar a primeira plus size a estampar a capa da revista “Sports Illustrated Swimsuit Issue” e quebrar muitas outras barreiras para mulheres curvilíneas. O livro “A New Model: What Confidence, Beauty, and Power Really Look Like”, ainda sem tradução em português, será lançado em maio nos EUA.


Assuntos sobre modelos e agencias de modelos na web: Agencias de modelos Melhores agencias de modelos Altura necessária para as modelos Como entrar para uma Agencia de Modelos Agencias de Modelos Brasileiras Agencia de Modelos do Brasil Lista de Agencias de Modelos Brasileiras Matérias sobre Modelos e o mundo da moda Lista de Agencias de Modelos Modelos Masculinos Empório Armani Online Lista de Agencias de Modelos Agencias de Modelos Agencias de modelos famosas Principais Agencias de Modelos Informações sobre agencias de modelos Informações sobre agencias de modelos e modelos Agencias de Modelos e Top Models Modelos, Agencias de Modelos e Bastidores da Moda Modelos, Agencias de Modelos e Moda Agencias de Modelos, Agencias de Moda do Brasil, Top Models, Modelos Femininos, Modelos Masculinos Vulnerável e Oscilante Moda, Modelos e Agencias de Modelos Veja Fashion Agencia de Modelos e Top Models Principais Agencias de Modelos do País: FORD MODELS, MEGA MODEL BRASIL, MAJOR MODEL BRASIL, LEQUIPE AGENCE, Way Model